Estratégias do Alzheimer®️

Como é o Tratamento do Alzheimer / Demências

Gostou desse artigo? Compartilhe..

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que afeta principalmente pessoas com mais de 65 anos, causando sintomas como esquecimentos e dificuldade progressiva para realizar as tarefas diárias e/ou cuidar de si. Não há uma cura para o Alzheimer, mas existem tratamentos que podem retardar o avanço da doença e controlar os sintomas.

Como e o tratamento para Alzheimer / Demência.

Como é o tratamento do Alzheimer?

Os tratamentos para Alzheimer / Demências podem ser divididos em duas categorias: 

1. Farmacológicos.

2. Não farmacológicos.

1. Tratamentos farmacológicos

Os tratamentos farmacológicos envolvem o uso de medicamentos que atuam no cérebro, aumentando os níveis de alguns neurotransmissores (substâncias químicas que transmitem informações entre os neurônios) ou bloqueando a ação de outros. Os principais medicamentos para Alzheimer / Demências são:

Donepezila: é um inibidor da colinesterase, que aumenta os níveis de acetilcolina no cérebro, um neurotransmissor responsável por controlar a memória e o movimento do corpo. É indicado para todos os estágios do Alzheimer e pode ser combinado com outros fármacos, como a memantina. Pode causar efeitos colaterais como fadiga, diarreia, náusea, vômitos, falta de apetite e perda de peso. É encontrado na forma de comprimidos de 5 e 10 mg e solução oral.

Rivastigmina: é outro inibidor da colinesterase, indicado para os casos leves e moderados de Alzheimer. Pode ser encontrado na forma de comprimidos orais ou adesivos subcutâneos para uso diário. Pode causar efeitos colaterais como fraqueza muscular e sintomas digestivos, como náusea, vômitos e diarreia.

Galantamina: é mais um inibidor da colinesterase, indicado para os casos leves e moderados de Alzheimer. Pode ser encontrado na forma de comprimidos de 8, 16 e 24 mg de liberação prolongada. Pode causar efeitos colaterais como tontura, dor de cabeça e sintomas digestivos, como vômitos, náusea e diarreia.

Memantina: é um antagonista do receptor de NMDA, que bloqueia a ativação excessiva desses receptores, prevenindo a perda de neurônios na doença de Alzheimer. É indicada para os casos moderados e graves da doença e pode ser combinada com os inibidores da colinesterase. Pode causar efeitos colaterais como dor de cabeça, sonolência, confusão mental e alucinações.

Esses medicamentos devem ser prescritos por um médico especialista (neurologista ou psiquiatra) e podem ser obtidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mediante apresentação dos documentos necessários. O objetivo desses medicamentos é retardar o declínio cognitivo, melhorar a qualidade de vida dos pacientes e reduzir os sintomas comportamentais e psicológicos da demência.

2. Tratamentos não farmacológicos

Os tratamentos não farmacológicos envolvem intervenções que visam estimular as funções cognitivas (memória, atenção, linguagem, raciocínio etc.), as habilidades funcionais (realização das atividades da vida diária) e o bem-estar emocional dos pacientes com Alzheimer / Demências. Essas intervenções podem ser realizadas por profissionais da saúde (psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais etc.) ou por familiares e cuidadores, com orientação adequada.

Alguns exemplos de tratamentos não farmacológicos são:

Estimulação cognitiva: consiste em realizar exercícios que envolvem diferentes domínios cognitivos, como memória, atenção, linguagem, raciocínio etc., adaptados ao nível de dificuldade do paciente. Esses exercícios podem ser feitos individualmente ou em grupo, usando materiais como papel, lápis, revistas, jogos etc. O objetivo é manter ou melhorar o desempenho cognitivo do paciente e prevenir ou retardar o agravamento dos sintomas.

Reabilitação cognitiva: consiste em ensinar estratégias compensatórias para lidar com as dificuldades cognitivas do paciente, como usar agendas, lembretes, rotinas, listas etc. Essas estratégias visam aumentar a autonomia e a autoestima do paciente e facilitar o seu desempenho nas atividades da vida diária.

Terapia de reminiscência: consiste em estimular o paciente a recordar e compartilhar experiências passadas, usando materiais como fotos, músicas, objetos etc. Essa terapia visa resgatar a identidade e a história de vida do paciente, fortalecer os vínculos afetivos e sociais e melhorar o humor e a autoestima.

Terapia de orientação à realidade: consiste em fornecer informações sobre o tempo (data, hora, estação do ano etc.), o espaço (local, endereço, cidade etc.) e a pessoa (nome, idade, parentesco etc.) ao paciente, usando materiais como calendários, relógios, mapas, cartazes etc. Essa terapia visa aumentar a consciência do paciente sobre si mesmo e o seu contexto, reduzir a confusão mental e a desorientação e melhorar a adaptação à realidade.

Terapia ocupacional: consiste em realizar atividades que envolvem aspectos físicos, mentais e sociais do paciente, como artesanato, jardinagem, culinária, música etc. Essas atividades visam manter ou recuperar as habilidades funcionais do paciente, promover o lazer e o prazer e prevenir ou reduzir os comportamentos inadequados.

Terapia ocupacional: consiste em realizar atividades que envolvem aspectos físicos, mentais e sociais do paciente, como artesanato, jardinagem, culinária, música etc. Essas atividades visam manter ou recuperar as habilidades funcionais do paciente, promover o lazer e o prazer e prevenir ou reduzir os comportamentos inadequados.

Fisioterapia: consiste em realizar exercícios que envolvem o movimento do corpo, como alongamento, fortalecimento muscular, equilíbrio etc. Esses exercícios visam manter ou melhorar as capacidades físicas do paciente, prevenir ou tratar as complicações musculoesqueléticas e cardiovasculares e melhorar a qualidade de vida.

Fisioterapia: consiste em realizar exercícios que envolvem o movimento do corpo, como alongamento, fortalecimento muscular, equilíbrio etc. Esses exercícios visam manter ou melhorar as capacidades físicas do paciente, prevenir ou tratar as complicações musculoesqueléticas e cardiovasculares e melhorar a qualidade de vida.

Além desses tratamentos não farmacológicos específicos para os pacientes com Alzheimer / Demências, existem também medidas gerais que podem beneficiar a saúde mental de qualquer pessoa, como:

Além desses tratamentos não farmacológicos específicos para os pacientes com Alzheimer / Demências, existem também medidas gerais que podem beneficiar a saúde mental de qualquer pessoa, como:

– Estudar, ler, pensar, manter a mente sempre ativa;
– Fazer exercícios de aritmética;
– Jogos inteligentes;
– Atividades em grupo;
– Não fumar;
– Não consumir bebida alcoólica;
– Ter alimentação saudável e regrada;
– Fazer prática de atividades físicas regulares.

Os tratamentos não farmacológicos podem ser realizados em diferentes locais, como domicílio, consultório, clínica ou centro de referência. O objetivo desses tratamentos é estimular as potencialidades do paciente, preservar as suas funções cognitivas e funcionais e melhorar a sua qualidade de vida.

FONTES:

Texto: Marcelo Godinho

[1] 7 medicamentos para Alzheimer (e outras opções de tratamento) – Tua Saúde. 

[2] Qual o tratamento para o Alzheimer? — Ministério da Saúde.

[3] Alzheimer — Ministério da Saúde. 

[4] Como funciona o tratamento para demências? – funcionalita.com.br. 

Site: Estratégias do Alzheimer

Deixe seu comentário construtivo...

Leia Mais

Remédios para Alzheimer
Remédios e Vitaminas
Marcelo Godinho

Remédios Para Alzheimer

💊 Medicamentos 💊 Doença de Alzheimer Alzheimer tem cura? A doença de Alzheimer não tem cura conhecida até a data de hoje. O tratamento para

Leia Mais »
A Arte de Julgar 01
Vida e Sociedade
Marcelo Godinho

A arte de julgar os outros 1

O Cão e o Coelho Uma história para se emocionar e não julgar mais os outros Eram dois vizinhos. Um deles comprou um coelho para

Leia Mais »

Se Inscreva!

Deixe uma Mensagem.

Erro: Formulário de contato não encontrado.