Guia Definitivo Sobre Prevenção de Queda de Idosos.

Gostou desse artigo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no telegram

A QUEDA.

São 03:23 horas da manhã de domingo. Passei a noite inteira acordado. O sono resolveu ir embora e não voltou mais. Motivo: mamãe caiu, durante a tarde, ao levantar do sofá do escritório e bateu a cabeça na mesa que usamos para desenhar e pintar. Resultado: Emergência do hospital particular e mais de cinco horas de tensão entre tomografia, diagnostico, sutura na testa e medicações.

 

Poderíamos ter evitado o acidente? Fico pensando e pensando, algumas vezes respondo que não tinha como ter impedido o acontecido e outras vezes uma vozinha lá no fundo diz que podia ter sido evitado. Enfim, sobre o que aconteceu e virou passado nada mais se tem a fazer. Sobre o futuro, esse sim, podemos intervir. E esse texto, redigido na madrugada enquanto zelo pelo sono da mamãe, aborda justamente todas as ESTRATÉGIAS que eu já usava em casa para segurança da mamãe e que podem ajudar outras pessoas.

QUEDA. O QUE QUEREMOS EVITAR?

Lesão-queda-1

Fratura do fêmur.

Fêmur proximal (região do quadril). Que pode alterar a qualidade de vida do idoso. Afetando a locomoção e impedindo que recupere 100% de seus movimentos

Lesões.

Principalmente a lesão cerebral. Traumatismos cranioencefálicos (TCE). A extensão e o efeito da lesão cerebral são frequentemente avaliados pelo emprego de exame neurológico, tomografia e testes de avaliação neuropsicológica. Uma lesão cerebral não resulta necessariamente numa deficiência ou incapacidade de longo prazo, embora a localização e extensão do dano tenham um efeito significativo na resultante provável. Em casos sérios de lesão cerebral, o resultado pode ser incapacidade permanente, incluindo déficit neurocognitivo, alucinações, problemas de fala ou movimento. Lesões cerebrais graves podem resultar em estado vegetativo, coma ou morte.

Fraturas nos membros superiores (ombro e punho).

Ombro: A fratura da parte mais alta do osso do braço (região proximal do úmero) é comum nas pessoas mais velhas. É muitas vezes chamada de fratura do ombro. O osso tipicamente se quebra (fratura) logo abaixo do ombro, geralmente após uma queda. Na maioria dos casos, o osso quebrado não rompe a pele que fica sobre o local da fratura. Muitas vezes, o tratamento desse tipo de fratura consiste em colocar o braço lesado em uma tipoia até que o osso fique suficientemente consolidado para permitir o movimento do ombro. As fraturas mais graves (deslocadas) podem ser tratadas cirurgicamente.

Punho: A Fratura de rádio distal mais conhecida como fatura do punho é bem comum de se acontecer em quedas.

COMO PREVINIR AS QUEDAS SABENDO DAS PRINCIPAIS CAUSAS

FATORES BIOLÓGICOS

Diminuição da visão ou problemas como catarata.

Faça exames oftalmológicos regularmente. Use seus óculos em casa e ao sair.

Diminuição da audição.

Prescrição e uso adequados do aparelho de amplificação sonora.

Diminuição da força muscular causando fraqueza na musculatura.

Reforço nos ossos e musculatura do idoso. Segundo o Ministério da Saúde, treinamentos específicos para equilíbrio, como aulas de “tai chi chuan”, podem reduzir em até 37% as quedas na terceira idade. Participe de programas de atividade física que visem ao desenvolvimento de agilidade, força, equilíbrio, coordenação e ganho de força do quadríceps e mobilidade do tornozelo.

Osteoporose.

Tome banhos de sol diariamente por 15 minutos, antes das 10h ou depois das 16h sem protetor solar. Por recomendação do geriatra, nutrólogo ou nutricionista usar suplementos orais de vitamina D e cálcio para prevenção da osteoporose.

Desnutrição.

Uma nutrição inadequada leva a aumento do risco de doenças, além de favorecer a perda da massa muscular, fragilidade e prejuízos ao desempenho físico. Idosos que apresentam doenças que dificultam a deglutição dos alimentos, sobretudo se usam sondas, ou que têm dificuldade para se locomover e preparar seus alimentos estão em maior risco, e os cuidadores devem ter especial atenção para o oferecimento de alimentos na quantidade e qualidade adequadas.

Estada-perigosa-queda-2

Alterações no equilíbrio.

Causadas por labirintite, vertigem, depressão, ansiedade, pânico, problemas de pressão, dor de cabeça, infecções e desidratação. Se necessário, usar bengalas, muletas ou outros instrumentos de apoio.

Doenças que afetam o sistema motor.

Como alzheimer, parkinson, esclerose múltipla, hidrocefalia, artrose no joelho, acidente vascular cerebral (AVC), anormalidades para caminhar, deformidades nos pés (unhas grandes, joanetes dolorosos etc.) e neuropatias. Toda fadiga muscular e confusão mental aumentam o risco de quedas.

Doenças cardíacas como: arritmia

Faça exames físicos anualmente, em específico para detectar a existência de problemas cardíacos e de pressão arterial.

Disfunção urinária e da bexiga. 
A incontinência, tanto urinária quanto fecal, fazem com que o idoso sinta a necessidade de ir rapidamente até o banheiro, o que causa risco de cair. É comum que o idoso incontinente apresente episódios de quedas à noite, já que pode tentar se locomover enquanto ainda está escuro ou por apresentar tontura ao se levantar. Evitar ingesta hídrica antes de dormir. Acender luz ao ir ao banheiro durante a noite ou deixar luz noturna acesa. Utilização de fraldas noturnas. Realizar reabilitação funcional do assoalho pélvico. 

Consumo de bebidas alcoólicas.

Evite ingestão excessiva de bebidas alcoólicas.

Uso de drogas.

Alguns autores relatam que menos que 1% ou seja menos de uma pessoa em cada 100 que usam drogas, conseguem se livrar do vício.

Uso de medicamentos, como sedativos, hipnóticos e ansiolíticos.

Mantenha uma lista atualizada de todos os medicamentos que está tomando, ou que costuma tomar, e as dê para os médicos com quem faz consulta.

Uso de medicamentos, como sedativos, hipnóticos e ansiolíticos.

Mantenha uma lista atualizada de todos os medicamentos que está tomando, ou que costuma tomar, e as dê para os médicos com quem faz consulta.

Esquecimento, dose errada ou uso de medicamentos fora do horário prescrito.

Informe-se com o seu médico sobre os efeitos colaterais dos remédios que você está tomando e de seu consumo em excesso. Certifique-se de que todos os medicamentos estejam claramente rotulados e guardados em um local adequado (que respeite as instruções de armazenamento). Tome os medicamentos nos horários corretos e da forma que foi receitada pelo médico, na maioria dos casos acompanhados com um copo d’água.

FATORES NÃO BIOLÓGICOS (EXTERNOS)

Queda-lugares-escorregadios

Tapetes.
São os grandes vilões das quedas de idosos. Retire todo e qualquer tapete de casa. Grandes e pequenos. Instale suportes, corrimão e outros acessórios de segurança. Estatísticas norte-americanas indicam que 60% das quedas em idosos acontecem dentro de casa: ao subir escadas, escorregões em superfícies muito lisas e tropeços, entre outras situações. Não encere a casa.

Brinquedos de crianças e de cachorro.

Espalhados pela casa criam um verdadeiro campo de obstáculos ao ir e vir do idoso. Elimine de sua casa tudo aquilo que possa provocar escorregões.

Mesa de centro.

Retire e guarde. O risco de causar uma queda é grande com agravante da pessoa cair em cima e se for de vidro se cortar.

Fios de eletrodoméstico e extensões elétricas.

Não tenha extensões elétricas pelo chão ou fios de eletrodomésticos deixados no chão da casa. Não use fita e nem cubra com tapete. O correto é não ter. Mude o eletrodoméstico de lugar.

Escada-perigosa-Queda-1

Escadas e corredores.

Escadas e corredores devem ter corrimão nos dois lados.

Escadas e corredores.

Escadas e corredores devem ter corrimão nos dois lados.

Cadeiras, camas e vasos.

Cadeiras, camas e vasos sanitários não podem ser muito baixos e devem ter apoio para sentar e levantar

Iluminação.

Ambientes mal iluminados favorecem a ocorrência de quedas. Instale iluminação ao longo do caminho da casa, principalmente para chegar até o banheiro.

Arquitetura e Engenharia.

Casas mal planejadas aumentam o risco de quedas. Desníveis acentuados entre os cômodos, degraus de tamanhos diferente ou fora do padrão e instalações inadequadas. Instale suportes, corrimãos e outros acessórios de segurança no banheiro, na sala, nos corredores e no quarto.

Roupas.

Não usar roupa comprida ou larga para evitar tropeçar.

Queda-sapatos

Calçados.

Use sapatos com sola antiderrapante. Nunca ande só de meias e substitua os chinelos que estão deformados ou frouxos. Amarre o cadarço do seu calçado no instante que visualizar que está desamarrado. Use uma calçadeira ou sente-se para colocar seu sapato ou amarrar. Evite sapatos altos e com sola lisa. Mulheres que não conseguem encontrar sapatos esportivos suficientemente largos para o formato do seu pé devem comprar na seção masculina, pois estes sapatos têm fôrmas maiores.

Armários.

Os armários devem ter portas leves e maçanetas grandes para facilitar a abertura, e as roupas mais usadas devem ficar em lugares de fácil acesso.

Queda-rua-da-cidade

Passeios públicos e ruas da cidade.

Cuidados devido a defeitos nos passeios e muita atenção ao atravessar a rua. Utilizar sempre a faixa de pedestre. Prestar mais atenção quando estiver andando em lugares que não conhece ou mal iluminados. Esperar que o ônibus pare completamente para você subir ou descer.

MELHORANDO A SEGURANÇA CONTRA QUEDAS DENTRO DE CASA

Em seu quarto.

Coloque uma lâmpada, um telefone e uma lanterna perto de sua cama;

Durma em uma cama na qual você consiga subir e descer facilmente (cerca de 55 a 65 cm);

Dentro do seu armário, arrume as roupas em lugares de fácil acesso, de preferência evitando os locais mais altos;

Substitua os lençóis e o acolchoado por produtos feitos por materiais não escorregadios, como algodão e lã.

Instale algum tipo de iluminação ao longo do caminho da sua cama ao banheiro; 

Não deixe o chão do seu quarto bagunçado.

Na sala e corredor.

Organize os móveis de maneira que você tenha um caminho livre para passar sem ter que ficar desviando muito;

Mantenha as mesas de centro, porta revistas, descansos de pé e plantas fora da zona de tráfego;

Instale interruptores de luz na entrada das dependências de maneira que você não tenha que andar no escuro até que consiga ligar a luz. Interruptores que brilham no escuro podem servir de auxílio;

Ande somente em corredores, escadas e salas bem iluminadas;

Não acumule ou deixe caixas próximas do caminho da porta ou do corredor;

Deixe sempre o caminho livre de obstáculos;

Mantenha fios de telefone, elétricos e de ampliação fora das áreas de trânsito, mas nunca debaixo de tapetes;

Não deixe extensões cruzarem o caminho; reorganize a distribuição dos móveis.

Não sente em uma cadeira ou sofá muito baixo, porque o grau de dificuldade exigido para se levantar é maior;

Conserte imediatamente as áreas em que o carpete está desgastado;

Remova peitoril de porta maior que 1,3 m.

Na cozinha e área de serviço.

Remova os tapetes que promovem escorregões; 

Limpe imediatamente qualquer líquido, gordura ou comida que tenham sido derrubados no chão;

Armazene a comida, a louça e demais acessórios culinários em locais de fácil alcance;

As estantes devem estar bem presas à parede e ao chão para permitir o apoio do idoso quando necessário; 

Não suba em cadeiras ou caixas para alcançar os armários que estão no alto;

No piso, utilize ceras que após a aplicação não deixem seu piso escorregadio;

A bancada da pia deve ter de 80 a 90 cm do chão para permitir uma posição mais confortável ao se trabalhar.

Na escada.

Não deixe malas, caixas ou qualquer tipo de bagunça nos degraus; 

Interruptores de luz devem estar instalados, tanto na parte inferior quanto na parte superior da escada. Uma outra opção é instalar detectores de movimento que fornecerão iluminação automaticamente;

A iluminação deverá permitir a visualização desde o princípio da escada até o seu fim, assim como as áreas de desembarque; 

Mantenha uma lanterna guardada em algum lugar próximo em caso de apagão;

Remova os tapetes que estejam no início ou fim da escada;

Carpete fixo na escada: selecione um carpete que tenha uma cor sólida (sem desenhos ou muitas formas) através do qual seja possível visualizar claramente as bordas dos degraus;

Coloque tiras adesivas antiderrapantes em cada borda dos degraus; 

Instale corrimãos por toda a extensão da escala e em ambos os lados. Eles devem estar em uma altura de 76 cm acima da escala;

Repare imediatamente as áreas em que o carpete esteja desgastado (principalmente as bordas dos degraus).

No banheiro.

Coloque um tapete antiderrapante ao lado da banheira ou do box para sua segurança na entrada e saída;

Instale na parede da banheira ou do box um suporte para sabonete líquido;

Instale barras de apoio nas paredes do seu banheiro;

Duchas móveis são mais adequadas;

Mantenha algum tipo de iluminação durante as noites;

Use dentro da banheira ou no chão do box tiras antiderrapantes;

Substitua as paredes de vidro do box por um material não deslizante;

Ao tomar banho, utilize uma cadeira de plástico firme com cerca de 40 cm. caso não consiga se abaixar até o chão ou se sinta instável.

O QUE FAZER EM CASO DE QUEDAS?

Busque ajuda rapidamente: ligue para emergência do seu plano de saúde, SAMU (192), corpo de bombeiros (193) ou a polícia militar (190), informando o ocorrido e as informações médicas do idoso com detalhes. Enquanto os profissionais não chegam, mantenha a pessoa que caiu calmo e imóvel. Se existir sangramento, é importante cobrir e comprimir o ferimento com um pano limpo. Em caso de queda em que o idoso que bateu a cabeça é necessário ir ao hospital sem exceção.

O QUE FAZER DEPOIS QUE FUI ATENDIDO, MEDICADO E VOLTEI PARA CASA?

Em caso de queda originada por fatores biológicos.

Trate a causa e melhore a segurança do ambiente em que está.  A fisioterapia é importante para treino e recuperação da agilidade, força e equilíbrio, principalmente nos idosos que já tem algum tipo de limitação para a locomoção, geralmente causados por doenças, como osteoartrite, ou após já terem sofrido uma queda. Além disso, as atividades físicas também são recomendadas para prevenir quedas, pois são úteis para a preservação da força muscular e coordenação motora, e alguns exercícios mais indicados são “tai chi chuan”, caminhada rápida e musculação.  Os exercícios na água, como hidroterapia, natação ou hidroginástica, também são muito recomendados, pois oferecem os benefícios de qualquer atividade, mas sem sobrecarregar os músculos e articulações.

Em caso de queda por fatores externos.

Leia esse texto detalhadamente e faça a orientação de cada um dos itens, passo a passo, aumentando a segurança e sua qualidade de vida do idoso. Envie para quem você conhece que já sofreu uma queda. Juntos vamos melhorar a qualidade de vida do idoso.

FONTES:

Texto: 

Marcelo Godinho

Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia. Ministério da Saúde. 

Hospital Sírio Libanês.  

Site Tua Saúde. 

Site Cochrane. 

Site: Estratégias do Alzheimer

Imagens:

Imagem principal Olho: Foto de analogicus

Bengala Escada: Foto de Bohemian_Heart Tanusree

Escada suja: Foto de Kaboompics .com

Atravessando a rua:  Foto de Quintin Gellar

Sapato desamarrado: Foto de Tobias Penner

Piso escorregadio: Foto de besnopile

 

Política de uso

A reprodução de matérias, fotografias e imagens é livre mediante a citação do site “Estratégias do Alzheimer https://estrategiasdoalzheimer.com.br/”, bem como, dos autores do texto, das fotos e imagens. 

Deixe seu comentário construtivo...

Leia Mais

Capa do treino Cognitivo
Treino Cognitivo
Marcelo Godinho

Treino Cognitivo – Banheiro 1

💪🧠 Treino 🧠💪 Cognitivo Semanal Vamos treinar o cérebro com muita força, fé e amor!!! Banheiro 1   Instruções: reúna a família em um local

Leia Mais »

Se Inscreva!

Deixe uma Mensagem.

[contact-form-7 id="654" title="Formulário de contato 1"]